Ano 11 - Semana 577



Amamentação


Especialistas estão cada vez mais seguros: ama-mentar nos primeiros 30 minutos de vida do bebê é um ganho tanto para ele quanto para a mãe. A prática, esquecida durante algum tempo e tão co-mum na época das par-teiras, voltou à tona dentro do conceito de humanização do parto. “É uma forma que estimula mais ainda a criação do vínculo de amor que cerca a relação mãe/filho”, diz a pediatra Nanci Gusmão Madeira, coordenadora do Serviço de Neonatologia do Hospital-Dia e Materni-dade Unimed-BH.

As vantagens são inúme-ras para a criança:
protege contra infecções,
aquece e acalma,
promove uma melhor adaptação ao ambiente
facilita a adaptação do aparelho respiratório,
além de proporcionar um período de descanso maior ao bebê após o parto, pois ele já estará alimentado.

Para a mãe, a amamen-tação logo após o parto libera endorfina, elimina a sensação de dor e muda o foco do incômodo do pós-parto para o bem-estar do recém-nascido, desperta o instinto de cuidado e proteção, esti-mula a produção de leite e agiliza a volta do corpo da mãe ao normal.



 

ARQUIVO

 

     19 de abril, 2008
 

Varizes: alerta para cuidar da saúde
 

Problemas vasculares nas pernas podem indicar que a saúde não está boa. Dor, vermelhidão e inchaço são sinais e sintomas que exigem cuidados médicos, sob pena de a pessoa sofrer uma trombose (entupimento de veia) e, posteriormente, risco de embolia pulmonar – que ocorre quando o coágulo que estava entupindo uma veia da perna se desprende e percorre o caminho do sangue, instalando-se em uma artéria pulmonar.

“A função do sangue que corre pelas artérias é alimentar células, músculos e órgãos do corpo. Já as veias fazem o caminho contrário, trazendo o sangue carregado de impurezas até o coração e pulmões, onde é novamente oxigenado. Pessoas saudáveis apresentam circulação eficaz. O surgimento de problemas venosos indica que o sangue começa a se acumular nas pernas. Manter a saúde das pernas, então, é fator-chave para evitar problemas das veias”, diz o doutor Ricardo Aun, cirurgião vascular do Hospital Santa Paula, de São Paulo.

Mais graves que os problemas nas veias são as doenças arteriais. Segundo o médico, os principais fatores de risco responsáveis pelo estreitamento das artérias incluem nível elevado de estresse, altas taxas de gordura no sangue (colesterol e triglicérides), sedentarismo, hipertensão, diabetes e obesidade. O consumo de álcool e o fumo também agravam a saúde. “Principalmente o fumo, já que o cigarro danifica a parede interna dos vasos e aumenta as chances de formação de coágulos”.

Infarto, derrame e AVC (acidente vascular cerebral) podem se formar a partir de problemas arteriais. “Se houver entupimento de um vaso que irriga o cérebro, por exemplo, há chances de o paciente ser acometido por um derrame ou AVC. No caso de uma obstrução da artéria que irriga o coração, o paciente pode sofrer um infarto”, diz Aun.

Manter as pernas sempre saudáveis e em movimento é a dica do especialista para evitar problemas vasculares. “Quem costuma passar longos períodos em pé ou sentado deve movimentar bastante pernas e pés. Praticar caminhadas três vezes por semana, subir e descer escadas em vez de tomar elevador, ou mesmo nadar e pedalar são ótimos exercícios para ativar a ‘bomba muscular’, bem como a irrigação arterial dos diversos órgãos e do próprio coração”.

Doutor Aun também recomenda cuidar da alimentação, para evitar sobrepeso e obesidade, praticar atividades físicas regulamente – principalmente as aeróbicas – e abolir o fumo.


Dr. Ricardo Aun é cirurgião vascular do Hospital Santa Paula, de SP




 


Direção
IRENE SERRA
irene@riototal.com.br

 

Se você é da área médica e quer publicar algum artigo, venha fazer parte da nossa equipe.