Ano 11 - Semana 579



O dilema do cirurgião cardíaco é suspender ou não a aspirina antes de operar o coração de um paciente. A aspirina, que milhões de brasileiros to-mam diariamente por re-comendação dos cardio-logistas, torna o sangue mais fluido e menos pro-vável o infarto, mas numa operação aumenta o sangramento e dificulta a coagulação.

O professor da FCMSCSP – Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo - Roberto Franken, explica que o risco de maior sangra-mento numa operação é efetivo, mas as van-tagens da aspirina e dos demais anti-plaquetários é tão grande, que não há dúvida sobre uma relação custo-benefício positiva. “A medicação anti-pla-quetária em geral deve ser mantida”, afirma.

“A casuística que temos deixa bem claro que, apesar de haver um sangramento maior, ao se operar o coração de um paciente que não suspendeu a medicação anti-plaquetária, o índice de mortalidade não é maior, enquanto os benefícios ficam muito claros".


 

ARQUIVO

 

     03 de maio, 2008
 

ferro


Ferro é um elemento nutricional crítico e fundamental para as pessoas que praticam atividade física regularmente por fazer parte de processos bioquímicos importantes que incluem o transporte de oxigênio para os tecidos do organismo, a síntese do DNA assim como o transporte de elétrons dentro das células. De acordo com estudos recentes, 25 a 35% dos atletas participantes de uma pesquisa apresentaram-se com deficiência de ferro comparados com 8% em adultos jovens não praticantes de exercícios físicos.

A suplementação sistemática de ferro pode ser problemática pois o corpo não possui um eficiente mecanismo de eliminação do excesso desse elemento e doses repetidas podem até causar importantes efeitos adversos à saúde. Por este motivo, existem alguns fatos interessantes sobre a absorção do ferro que devem ser melhor conhecidas para que seu uso suplementar seja seguro e efetivo.

A carne e o peixe contêm a fração de ferro denominada HEME que é a melhor forma de manutenção do estoque desse mineral. As plantas e vegetais em geral não possuem esta fração HEME. A absorção de ferro NÃO-HEME depende de outros fatores contidos na alimentação geral como alimentos ricos em vitamina C, que ajuda a absorver o ferro.

Como exemplo, 1 copo de suco de laranja acompanhado de uma porção de carne ou peixe ajuda a absorver melhor o ferro. Alimentos que contêm vitamina B2 (carnes, brócolis e legumes) podem também ajudar neste mecanismo de absorção. Não devemos ignorar que é necessária uma boa secreção ácida no estômago para absorver o ferro. Por este motivo, se consumimos suplementos vitamínico-minerais para suplementação de ferro, devemos fazê-lo junto a refeições.

Os vegetarianos podem necessitar duas vezes mais ferro por dia do que os não vegetarianos por causa da baixa absorção intestinal do ferro NÃO-HEME contido nos vegetais.

Estas informações são importantes para conhecer-mos certas características de suplementos que pensamos consumir adequadamente e, muitas das vezes, o fazemos de maneira errada.



(fonte: revista AST Sport Science).
Dr. Sergio Vaisman é médico endocrinologista

 


Direção
IRENE SERRA
irene@riototal.com.br

 

Se você é da área médica e quer publicar algum artigo, venha fazer parte da nossa equipe.