Ano 12 - Semana 609
 


Vitamina C e Diabetes
Cientistas do hospital Addenbrooke e da Univer-sidade de Cambridge, na Inglaterra constataram uma importante associa-ção entre níveis elevados de vitamina C no sangue de adultos e baixo risco de desenvolvimento de diabetes tipo 2, conforme publicado na revista Archi-ves of Internal Medicine, em julho de 2008.
Análises de dados revela-ram forte efeito protetor de níveis elevados de vi-tamina C contra diabetes. Os autores constataram que indivíduos que desen-volveram diabetes apre-sentavam-se com valores baixos de vitamina C no sangue, o que reforçou to-das as suspeitas a respei-to dos dados protetores.
Como recomendações adi-cionais, os pesquisadores enfatizam a alimentação que contenha vegetais, principalmente frutas além de suplementação de vita-mina C, quando for indi-cado. Como frutas e ve-getais, em geral, são as maiores fontes de vitami-na C na Natureza, dietas repletas desses elemen-tos são indicadas, mesmo em quantidades peque-nas, desde que regulares, além de, logicamente, manter o peso dentro de padrões desejados, pois sabemos que sobrepeso e obesidade são fatores fa-cilitadores do aparecimen-to da doença.
(Dr. Sergio Vaisman)

 

 


 

 

   28 de novembro, 2008
 

Dores e lesões nos ombros


Exercício físicos sem orientação adequada podem causar dores
e sérias lesões nos ombros


Uma das queixas mais freqüentes nos consultórios dos ortopedistas são as dores nos ombros, problema que atinge não só pessoas sedentárias, mas também esportistas como jogadores de vôlei, tênis, nadadores e outros que praticam modalidades de arremesso. Em geral, as dores são provocadas por lesões inflamatórias causadas por movimentos repetitivos ou excesso de uso, que machucam os tendões.

Para evitá-las é necessário fazer um tratamento de fortalecimento e reeducação muscular, tanto para atletas de alto nível quanto para os de fim de semana. Esses, inclusive, devem tomar cuidados redobrados, pois, por não se exercitarem regularmente têm predisposição a desenvolverem as mesmas lesões inflamatórias dos tendões sofridas pelos esportistas profissionais.

Porém, as dores nos ombros não atingem apenas os esportistas. As lesões estão cada vez mais presentes em crianças, adolescentes e adultos. “As dores nos ombros podem vir também de lesões degenerativas, ou seja, com o avanço da idade há o desgaste das articulações em decorrência do envelhecimento biológico”, explica Sérgio Xavier, ortopedista do HCor – Hospital do Coração.

Além de degenerativas as lesões no ombro podem ser inflamatórias e normalmente são causadas por excesso de movimentos repetidos. "As lesões inflamatórias são mais comuns nos jovens e estão relacionadas à atividade esportiva ou de trabalho, as chamadas tendinites. Atletas de fim de semana, acima dos 50 anos, que jogam tênis ou golfe, também costumam sofrer essa lesão", acrescenta o Dr. Xavier.

A calcificação é outra causa de problemas no ombro em pessoas entre 35 e 45 anos. Por volta dos 65 anos, a mulher também é alvo freqüente de problemas na articulação do ombro.


Tratamento:

Geralmente as pessoas não possuem a conduta de prevenção, mas a de correção. Entretanto, para quem já apresenta os primeiros sinais de dor e lesão é importante tratá-las desde o início para evitar que o problema se repita e gere transtornos mais graves, que podem até terminar em cirurgia.

Segundo o ortopedista, o tratamento da dor no ombro tem evoluído bastante nos últimos anos. Os pacientes podem ser tratados clinicamente ou até serem submetidos a cirurgias. "O importante é tratar estas lesões desde o início, com fortalecimento muscular e alongamentos, evitando assim que o problema se repita e gere patologias mais graves", diz Dr. Xavier.

Com a evolução das técnicas cirúrgicas, a artroscopia é o método cirúrgico cada vez mais utilizado, porque é feita por mini-incisões com um aparelho óptico introduzido na articulação. No caso dos ombros, a grande evolução no diagnóstico e tratamento teve início na década de 90.


Movimento contínuo:

Após os 40 anos de idade, aumentam as dores nos ombros em conseqüência do envelhecimento biológico. Algumas pessoas suportam e convivem bem com o problema e outras não. "Cerca de 90% das pessoas que chegam ao consultório queixando-se de dor no ombro têm a chamada síndrome do impacto", declara.

Há uma relação muito estreita entre a atividade física de uma pessoa e a aceleração do processo degenerativo. Os atletas que utilizam os braços para lançamento, como tenistas, golfistas, jogadores de vôlei e nadadores, têm uma tendência maior a desenvolver lesões inflamatórias no tendão, por conta do movimento contínuo de elevar o braço. A mesma coisa ocorre com pessoas que trabalham com os braços elevados acima da cabeça, como professores que dão aula escrevendo na lousa, carregadores e empregadas domésticas.

“Todas essas pessoas têm uma tendência para desenvolver processos inflamatórios nessa região, porque expõem o tendão a situações de estresse, além de uma característica própria do tendão que é a pouca vascularização, fato que o predispõe a esses tipos de lesão. Se o ombro é exposto a uma situação de constante elevação, ele pode ficar 'mais velho' mais rápido. Mas isso não significa que quem poupa atividade física para os ombros não terá lesões no futuro", completa o especialista.


Medicina Esportiva HCor:

Considerada um dos mais importantes centros nacionais da especialidade, o Centro de Medicina Esportiva do HCor reúne uma equipe altamente especializada com os mais modernos recursos tecnológicos para dar assistência a todas as patologias ortopédicas.

Um exemplo desse prognóstico foi o lançamento, há 10 anos, do Serviço. Um setor criado para oferecer os mais variados tipos de atendimento nas áreas de ortopedia e fisiatria, com modernos equipamentos e profissionais capacitados na recuperação de atletas profissionais e amadores, atuantes nas diversas modalidades esportivas.

No HCor são realizadas em media 40 cirurgias de ombro por mês, quase 500 casos anuais.

Realizando procedimentos diversos como diagnósticos, fisioterapia, avaliação e reabilitação pré e pós-cirurgias ortopédicas e traumas entre outros, o serviço de Medicina Esportiva ganhou notoriedade pela excelência de atendimento, inclusive com o credenciamento do Centro de Ortopedia pela ISAKOS – Sociedade Mundial de Artroscopia, Cirurgia do Joelho e Traumatologia do Esporte.


Para fugir das dores:

* Faça exercícios de alongamento.

* Use um travesseiro fino ou durma sem travesseiro se preferir o decúbito dorsal. Se preferir dormir de lado, utilize travesseiro que preencha a distância da cabeça ao ombro.

* No trabalho, use uma cadeira ajustável e com apoio nas costas.

* Faça intervalos de 15 minutos a cada 2 horas de trabalho, principalmente se permanecer muito tempo ao computador.

* Alongue pescoço, ombros e região lombar a cada 2 horas.


Dicas para o dia-a-dia:


• Em casa, evite realizar tarefas que apresentem o mesmo padrão de movimento daqueles feitos no trabalho;

• Faça exercícios de alongamento antes e depois da sua atividade física preferida;

• Para levantar cargas pesadas do chão, separe as pernas, dobre os joelhos, segure o objeto o mais perto possível do corpo e depois levante;

• Divida o peso em ambos os lados do corpo, isto é, carregue um peso de cada lado do corpo;

• Ao carregar sacolas e malas, os braços devem estar esticados e bem perto do corpo;

• Não carregue peso na cabeça;

• Quando caminhar, procure ficar ereto e olhando para a linha do horizonte;

• Ande com a musculatura abdominal contraída;

• Ao calçar sapatos, procure sentar ou ajoelhar;

• Use sapatos com 1-2 cm de salto, mas não exagere, pois isso ocasiona dificuldades de posicionamento, dores lombares e inflamação;

• Ao entrar e sair de veículos não torça as costas. Gire o quadril e as pernas para fora ao mesmo tempo;

• Dedique um tempo durante a semana para a prática de exercícios físicos para não se tornar uma pessoa sedentária.

 


Se você é da área médica e quer publicar algum artigo, venha fazer parte da nossa equipe

 



Direção
IRENE SERRA
irene@riototalcombr