Ano 12 - Semana 624


   
ARQUIVO

 

Descongestionante nasal
A rinite alérgica é o que há de mais incômodo com a chegada do outono-inverno. Pior que ela só mesmo a rinite medica-mentosa, que tem como principal agente ativador o uso indevido e desen-freado de descongestio-nantes nasais. Adotados por considerável parte da população como itens de cabeceira, os desconges-tionantes nasais tópicos, aqueles em gotinhas, escondem um verdadeiro risco quando usados sem acompanhamento médico. Seu uso continuado por mais de uma semana pode gerar dependência química, a ponto de o indivíduo fazer uso do medicamento mesmo sem estar com a narina congestionada.
(Dr. Renato Roithmann)


CREMERJ
Praia de Botafogo, 228 Botafogo - CEP: 22359900 Tel: (21) 2559-0018
E-mail:
www.cremerj.com.br/


CRO-RJ
R. Araújo Porto Alegre 70, 4º e 5 andar
Castelo - CEP: 20030015
Tel: (21) 2533-7173
www.cro-rj.org.br



 



 

Atualizado em 14/03/2009
 

Cirurgia plástica e vaidade masculina

 
As mudanças comportamentais na sociedade, com transformações no papel da mulher e equalização dos direitos entre elas e os homens, impulsionaram a vaidade masculina. Essa é a avaliação do cirurgião plástico Dr. Alan Landecker.

“Direitos iguais é uma das características do mundo contemporâneo na relação homem-mulher. Se a mulher pode ser vaidosa, o homem também passou a cuidar mais dele mesmo. Outros fatores que influenciam o aumento da vaidade masculina são a mídia e os lançamentos constantes de produtos de beleza para o público masculino”, completa o médico. Hoje, em seu consultório, cerca de 30% dos pacientes são homens – um crescimento de 50% nos últimos cinco anos. “Ainda existe um pouco de preconceito, mas isso já está mudando e vai ficar cada vez mais natural a presença dos homens nos consultórios”, avalia.

Ao contrário das mulheres, os homens não seguem um padrão de beleza, eles não trazem fotos de artistas para a consulta. “O objetivo do homem é o de melhorar o próprio corpo e eles são menos exigentes”, comenta.

Dr. Alan considera que as cirurgias plásticas para os homens devem ser mais conservadoras e as feições masculinas precisam ser preservadas. “Deve-se evitar sinais de feminilização como, por exemplo, deixar o nariz muito fino e pequeno”, pondera.

O especialista ressalta ainda que, em função de características do organismo masculino, a cirurgia plástica tende a ser mais complexa tecnicamente, porque os homens costumam sangrar e inchar um pouco mais. Por isso, a execução da técnica operatória deve ser um pouco diferente em comparação com a mulher, para compensar essa situação. Além disso, por causa do inchaço, a recuperação é um pouco mais demorada.

Já no caso de lipoaspiração, os homens levam vantagem. “A pele do homem tende a ser mais espessa e, em cirurgias de lipo, ela apresenta maior capacidade de retração posterior o que ajuda na recuperação, desde que não haja flacidez”. As principais regiões aspiradas são a cintura e o abdome. “Os hormônios masculinos fazem com que a gordura se localize nessas áreas”, esclarece Dr. Alan.

“As cirurgias plásticas de peito e panturrilha não são tão procuradas pelos homens. As mais requisitadas por eles são rinoplastia, lipoaspiração e blefaroplastia (pálpebras)”, finaliza.
 

Dr. Alan Landecker, Membro Titular e Especialista em Cirurgia Plástica
pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP),
membro da  International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS)
e autor do livro Cirurgia Plástica – Manual do Paciente.

 



    Direção
    IRENE SERRA
     irene@riototal.com.br


Se você é da área médica e quer publicar algum artigo, venha fazer parte da nossa equipe.  Seu artigo será bem recebido em vida-saudavel@riototal.com.br