Ano 12 - Semana 635


   
ARQUIVO

 

Idosos devem tomar mais sol

A exposição à luz do sol estimula a produção de vi-tamina D, cuja deficiência está associada à síndro-me metabólica – conjunto de fatores de risco para doença cardíaca e diabe-tes.

Segundo os pesquisado-res, como os idosos são mais propensos à defi-ciência de vitamina D, por causa do processo natural de envelhecimento e de mudanças no estilo de vida, a exposição ao sol seria especialmente im-portante para esse grupo de pessoas.

A deficiência de vitamina D é uma condição que está causando um grande problema de saúde em todo o mundo, com par-ticular impacto deletério entre os idosos.Os baixos níveis de vitamina D estão associados a um risco au-mentado de ter síndrome metabólica e está tam-bém significativamente associado com resistência à insulina aumentada.

Os pesquisadores reco-mendam que os idosos tomem mais sol, mas com responsabilidade.

 



 



 

Atualizado em 06/06/2009
 

Anabolizantes: Perigo na Adolescência


O preço a pagar no futuro é alto para quem ultrapassa cedo os limites do corpo
na busca por ganho rápido de massa muscular


 Otite afeta 90% das crianças menores de sete anos

No período de inverno os cuidados devem ser redobrados para não haver sequelas, como a perda de audição



A otite, inflamação no ouvido ocasionada pelo acúmulo de líquido no sistema auditivo, pode se tornar um grande problema, principalmente entre as crianças, se não for logo diagnosticada e tratada. Simples infecção, a doença pode ocasionar desde uma perda momentânea até uma perda permanente de audição.

Estudos apontam que a otite média atinge aproximadamente 90% das crianças com até sete anos. No inverno, em função de gripes e resfriados, a doença é mais frequente. De acordo com as estatísticas, 75% das crianças poderão apresentar o mesmo problema até três vezes durante um ano. Por isso, os pais devem ficar atentos porque um simples resfriado pode esconder um quadro mais grave. A perda de audição provocada por otite é geralmente momentânea e reversível, mas se a otite for frequente e não for tratada adequadamente pode tornar a perda de audição irreversível.

"Por isso, toda criança deve fazer um teste de audição antes de entrar em período escolar. As perdas auditivas causadas pelos quadros de otites podem provocar atrasos no desenvolvimento da linguagem, distúrbios de fala e menor habilidade no aprendizado. Os pais devem ficar atentos se a criança parece muito distraída, não responde logo quando chamada e assiste à TV em volume alto, por exemplo", alerta a fonoaudióloga Isabela Gomes, do Centro Auditivo Telex.

Quando uma criança tem otite, a fisiologia do ouvido para de funcionar. Normalmente, depois de um tempo, se for tratada adequadamente, a criança melhora, mas nem sempre é assim. Se a criança não respira bem pelo nariz, essa comunicação fica prejudicada, devido à tuba auditiva, que é um canalzinho que liga o nariz ao ouvido. Quando ocorrem muitas otites, esse canalzinho permanece entupido, não drena a secreção que se forma e que então se acumula dentro do ouvido, diminuindo a audição.

"Quando a perda auditiva é irreversível, o uso de aparelhos auditivos é a única solução para a criança ouvir e não ter comprometido o seu desenvolvimento e desempenho escolar", explica a fonoaudióloga.

Muitas vezes, é difícil suspeitar de um quadro de otite. No entanto, existem alguns sinais, como febre, irritação, dor de ouvido, presença de líquido saindo da orelha, falta de atenção e sensação de ouvido tapado. Além disso, algumas medidas são úteis para se evitar a otite, como não usar cotonetes, grampos e outros objetos para limpar o ouvido. Eles podem empurrar a cera em direção ao tímpano, ferindo-o.

"Os pais também devem estar atentos ao problema se os filhos praticam natação. Nesse caso, é indicado o uso de protetores para evitar a entrada de água nos ouvidos, o que pode causar otites. O uso do protetor auricular promove o vedamento do conduto auditivo", conclui Isabela Gomes.

No Brasil, três em cada mil crianças possuem algum tipo de deficiência auditiva. De acordo com a ONU, aproximadamente 1,5% da população nos países subdesenvolvidos têm problemas de audição.



    Direção
    IRENE SERRA
     irene@riototal.com.br