Ano 13 - Semana 680



Zumbido afeta 30 milhões de brasileiros
Segundo dados OMS,  cer-ca de 30 milhões de bra-sileiros sofrem com o zumbido, aquele chiado constante.
O zumbido em si não é uma doença, mas um sintoma que pode ser provocado por diversas causas, na maioria das vezes é acompanhado de algum grau de perda de audição decorrente de alterações da via auditiva. “O problema pode ser causado por vários moti-vos, desde exposição a ruídos intensos, pressão alta, passando por diabe-tes até disfunções nas articulações da mandíbula e também pressionamen-tos inadequados da mus-culatura de cabeça e pes-coço, principalmente da boca”, afirma Gerson Köhler especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial.

 

     17 de abril, 2010
---

Mielodisplasia

A doença incide principalmente entre os 60 e 80 anos de vida, além disso,
é facilmente confundida com anemia
e se não for tratada pode virar uma leucemia aguda.


Facilmente confundida com anemia, a mielodisplasia origina-se de mutações em células-tronco da medula óssea, que são responsáveis pela formação de glóbulos vermelhos, brancos e plaquetas do sangue. As células apresentam anormalidade de tamanho, na forma e na organização, e se essa disfunção não for tratada pode virar uma leucemia aguda.

A doença incide principalmente entre a 3º Idade (60 e 80 anos de vida), e pode começar com uma anemia leve e evoluir para leucemia aguda. “Fazemos o diagnóstico por meio de um exame de hemograma do mielograma (bolsão do osso), mas só fechamos após os exames de acompanhamento médico e descartada a hipótese de anemia”, explica o hematooncologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz e Sírio Libanês, Celso Massumoto.

Atualmente existem novas drogas aprovadas pelo Food and Drug Administration (FDA), que objetivam a melhora dos sintomas e a qualidade de vida, porém o desafio dos médicos é definir qual será a droga ideal para cada paciente. “Acredito que no futuro o tratamento deva ser realizado por meio de uma ou mais drogas. Drogas orais também são promissoras devido à comodidade do paciente, qualidade de vida e provavelmente maior sobrevida global”, diz Massumoto.

No Brasil, ainda não há estatísticas sobre a doença. Já os dados dos Estados Unidos revelam a existência de 10 a 20 mil casos por ano. Em relação à idade, a incidência é de 3,1 casos para 100 mil habitantes até 80 anos, e de 16 casos para 100 mil habitantes após os 80.
 



 


 

 


    Direção e Editoria
    IRENE SERRA
     irene@riototal.com.br