Ano 14 - Semana 731


Zumbido no ouvido
Segundo a otorrinolaringo-logista Rita de Cássia Guimarães, de Curitiba, é um sintoma que atinge 20% da população e cada indivíduo tem uma inten-sidade, causas diferentes e um tipo de zumbido. É o cérebro que determina a sua persistência.
O silêncio pode ser um amplificador do zumbido, já que sem a presença de outros sons o cérebro aca-ba prestando ainda mais atenção ao problema.
Qualquer pessoa tem a capacidade de detectar uma atividade elétrica nas vias auditivas e interpretá-la como um som. O zum-bido é uma atividade elé-trica diferente, que não tem origens externas e possui mais de 200 cau-sas. Para descobrir a sua origem é preciso fazer exames específicos, que começam com uma con-sulta a um otorrinolaringo-logista para a indicação do tratamento adequado.

 

 

       16 de abril, 2011
 

DENGUE
Faça o repelente dos pescadores
 

Ioshiko Nobukuni

- ½  litro de álcool;
- 1 pacote de cravo da Índia (10 g);
- 1 vidro de óleo de bebê (100ml)

Deixe o cravo curtindo no álcool uns 4 dias agitando, cedo e de tarde.
Depois coloque o óleo corporal (pode ser de amêndoas, camomila, erva-doce, aloe vera)..
Passe só uma gota no braço e pernas e o mosquito foge do cômodo.

O cravo espanta formigas da cozinha e dos eletrônicos, espanta as pulgas dos animais.
O repelente evita que o mosquito sugue o sangue, assim, ele não consegue maturar os ovos e atrapalha a postura, vai diminuindo a proliferação.

Não forneça sangue para o aedes aegypti!

 

 



    Direção
    IRENE SERRA
     irene@riototal.com.br