Ano 16 - Semana 846

 

Estatinas e declínio men-tal

É muito frequente o uso de ESTATINAS para contro-le do excesso de coleste-rol no sangue. À medida que os pacientes tomam esses remédios, nota-se que o estado mental da maioria deles sofre grada-tivamente um declínio (si-tuação bem comprovada na prática clínica diária). Esse dado foi confirmado por uma publicação feita na revista American Jour-nal of Geriatric Pharmaco-logy, no dia 4 de agosto de 2012. Foram relatadas pesquisas em pacientes usuários de estatinas que, quando deixaram de fazer uso, melhoraram seus es-tados mentais.O retorno ao uso dos medicamentos voltou a mostrar deficiên-cias de memória e con-centração analisados por testes específicos chama-dos Mini Mental Status Examination. A conclusão final da pesquisa foi a de que ESTATINAS PODEM AFETAR DE FORMA NEGA-TIVA A COGNIÇÃO DE PACIENTES PROPENSOS A DEMÊNCIA.

A maior parte do nosso cérebro é composta de colesterol. De fato, a mai-or concentração de coles-terol no nosso corpo se dá no cérebro. Se baixarmos seus níveis, o que pode-remos esperar? Obvia-mente, um declínio na função cerebral.

Além dos frequentes efei-tos colaterais das esta-tinas na função muscular (sensações de fraqueza e cansaço, principalmente nas pernas), devemos ficar atentos ao que também podem provocar no que diz respeito às funções cerebrais.

(Dr. Sergio Vaisman)

 


 

 

  28 de junho, 2013
 

Emagrecer e Perder Peso

VOCÊ SABE A DIFERENÇA?

 


Dr. Sérgio Barrichello


 
Todo mundo já passou por isso alguma vez na vida: começou aquela prometida dieta na segunda-feira, se matriculou na academia, malhou, malhou, malhou, até que subiu na balança e... Nada? Nenhum quilinho perdido?

Pois é, ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, nem toda dieta faz perder peso. A balança nem sempre fala a verdade.

Emagrecer e perder peso não são a mesma coisa. Uma pessoa pode ver o peso diminuir na balança sem de fato emagrecer, assim como pode se perder medidas, sentir as roupas ficarem mais largas e o peso continuar o mesmo. Isso acontece porque ao perder peso há apenas redução da massa corporal total e ao emagrecer se diminui o volume de gordura corporal, ou seja, a massa magra (músculos e ossos) se mantém ou aumenta. E como as fibras musculares pesam mais e ocupam menos espaço do que a gordura, a primeira diferença é a redução de medidas.

Qual é a forma mais saudável de emagrecer?
Sem dúvida, o mais saudável é perder gordura ao invés de apenas perder peso, já que a gordura em excesso representa um risco à saúde. Para isso, é essencial a prática de atividades físicas, como ginástica localizada ou musculação. E passar muitas horas sem comer, sem movimentar o corpo, também não é uma boa estratégia. Estudos provam que as pessoas que fazem apenas dieta têm 50% da redução do peso vinda da perda de massa muscular. O ideal é mudar de alimentação, ao invés de parar de comer, e sempre fazer atividades aeróbicas e de resistência voltadas para o trabalho de fortalecimento muscular.

Como não perder massa muscular?
O caminho para aumentar a queima de gordura e não perder apenas massa muscular, enquanto se faz dieta, é trabalhar os músculos. A realização de exercícios de resistência, como musculação, além de queimar calorias faz com que o indivíduo tenha um aumento significativo do metabolismo, ou seja, o paciente perde peso com muito mais facilidade. Apenas dessa forma a perda de peso pode ser sustentada a médio e longo prazo.
É bom, porém, ficar alerta para o excesso: exercício demais e pouca alimentação também faz mal. Muitas pessoas, na ânsia de emagrecer, passam longos períodos sem se alimentar ou mesmo começam a se privar de certos nutrientes que muitas vezes são fundamentais para o ganho de massa muscular e para perda de peso de maneira adequada.
A fonte de energia para o treinamento deve vir do alimento ou mesmo de uma suplementação com quantidades pré estabelecidas de carboidratos e proteínas. Caso o aspirante a atleta não tenha uma orientação nutricional e o acompanhamento médico adequado, o seu organismo passa a usar a massa muscular como fonte energética, prejudicando a performance do treinamento e aumentando a chance de lesões. Não adianta emagrecer e não se manter saudável.

 

Dr. Sérgio Barrichello (CRM-111.301)
é médico especialista em emagrecimento e cirurgião geral
 

 


 


 

Direção e Editoria - Irene Serra

Se você é da área médica e quer publicar algum artigo, venha fazer parte da nossa equipe