Ano 16 - Semana 843

 

Estatinas e declínio men-tal

É muito frequente o uso de ESTATINAS para contro-le do excesso de coleste-rol no sangue. À medida que os pacientes tomam esses remédios, nota-se que o estado mental da maioria deles sofre grada-tivamente um declínio (si-tuação bem comprovada na prática clínica diária). Esse dado foi confirmado por uma publicação feita na revista American Jour-nal of Geriatric Pharmaco-logy, no dia 4 de agosto de 2012. Foram relatadas pesquisas em pacientes usuários de estatinas que, quando deixaram de fazer uso, melhoraram seus es-tados mentais.O retorno ao uso dos medicamentos voltou a mostrar deficiên-cias de memória e con-centração analisados por testes específicos chama-dos Mini Mental Status Examination. A conclusão final da pesquisa foi a de que ESTATINAS PODEM AFETAR DE FORMA NEGA-TIVA A COGNIÇÃO DE PACIENTES PROPENSOS A DEMÊNCIA.

A maior parte do nosso cérebro é composta de colesterol. De fato, a mai-or concentração de coles-terol no nosso corpo se dá no cérebro. Se baixarmos seus níveis, o que pode-remos esperar? Obvia-mente, um declínio na função cerebral.

Além dos frequentes efei-tos colaterais das esta-tinas na função muscular (sensações de fraqueza e cansaço, principalmente nas pernas), devemos ficar atentos ao que também podem provocar no que diz respeito às funções cerebrais.

(Dr. Sergio Vaisman)

 


 

 

   07 de junho, 2013
 

Terapia das Pedras Quentes

A massagem ideal para aquecer e relaxar

 

Mariana Moraes


Ideal para os dias mais frios, a terapia das pedras quentes é a aplicação de termoterapia, utilizando pedras na massagem do corpo. Elas causam um efeito penetrante devido a sensação térmica das pedras quentes que deslizam sobre o corpo, conseguindo produzir reações fisiológicas e orgânicas de mais alto benefício para o ser humano. A temperatura é adaptada individualmente para cada caso, sendo que as pedras ao caminharem sobre os músculos transmitem uma energia que religa a força interior.

O tratamento é definido em três formas: equilíbrio, energização e relaxamento muscular. O procedimento é simples - são colocadas pedras pré-aquecidas em locais específicos, umas fixas e outras móveis, para massagear o corpo, nesse caso usando um óleo relaxante para evitar o atrito. Ao longo da sessão, em média uma hora, são utilizadas cerca de 55 peças a uma temperatura de 50ºC. O calor das pedras é penetrado 4 cm abaixo da pele e espalhado na região.

As pedras mais indicadas para massagem são: ágata calcedônia, feldspato, basalto amigdaloide ou pedras plutônicas. Destas há muitas variedades no Brasil. Muitas contêm olivina, silicato de ferro e de magnésio, e as que são conhecidas como basalto amigdaloide, contêm quantidades notáveis deste mineral. É uma pedra de grãos finos, muito densa e forma massas cristalina finas. Há muitas variedades de pedras que se pode utilizar nas massagens. As mais apropriadas são as que têm no seu interior substâncias térmicas para manter o calor por longo período, chamadas de pedras vulcânicas.

A condução do calor é transmitida ao corpo através de pedras plutônicas formadas na parte baixa do vulcão. Essas pedras foram esfriadas de forma lenta ao longo de milhares de anos, permanecendo em sua composição todo o seu potencial energético e bioquímico, como a olivina policristalina e o silicato de ferro e de magnésio. A energia dessas pedras penetra profundamente nos músculos, permitindo a limpeza, a desobstrução e a normalização do fluxo energético, que tem nos meridianos o seu principal meio de condução do ki (energia), obtendo-se, então, a homeostase orgânica e energética, ou seja, o equilíbrio da pressão e temperatura do corpo. Os clientes que recebem a Terapia das Pedras Quentes sentem-se recarregados energeticamente e com capacidade para trabalhar mais e melhor por períodos mais prolongados.

A Terapia das Pedras Quentes é um tratamento voltado para o relaxamento muscular sincronizado com o equilíbrio da energia dos chakras e os benefícios são muitos. As pedras têm intuito de transmitir energia que religa a força interior. A energia gerada quando as pedras quentes são friccionadas no corpo, chamada de piezoelétrica, diminui inflamações e melhora a regeneração celular, além de ajudar no tratamento anticelulite e de emagrecimento.


Confira alguns desses benefícios:

1. Melhora funções orgânicas - as pedras aquecidas sobre pontos estratégicos faz com que se forme uma mensagem intercelular conectando o corpo e a mente, que energizados, passam a ter maior influência no comando da saúde geral do organismo.
2. Recupera energia – através do aquecimento, as pedras devidamente tratadas liberam a energia acumulada em seu interior, melhorando a energia vital do ser humano, desobstruindo pontos de energia que possam estar bloqueados.
3. Redução significativa do estresse – as pedras aquecidas proporcionam um enorme bem estar, fazendo com que a pessoa fique plenamente aberta para receber a terapia.
4. Fortalece o sistema imunológico – o relaxamento profundo faz o organismo liberar hormônios que combatem o stress e, por outro lado, fortalecem o sistema imunológico. Isto já foi comprovado cientificamente


Histórico

No livro amarelo escrito há mais de três mil anos por um imperador chinês, encontra-se o registro da utilização das pedras quentes para curar diversas doenças. Também há cerca de dois mil anos era muito utilizada pelos monges tibetanos, principalmente no período de jejum. As pedras eram colocadas sobre o estômago e abdômen para proporcionar uma sensação de saciedade, diminuindo a fome e energizando o organismo. Há também registros encontrados nas culturas indígenas, que utilizavam as pedras quentes em suas curas.


Indicação e Contraindicação

Todas as terapias têm suas indicações e contraindicações. Não é diferente com a Terapia das Pedras Quentes. É preciso respeitar todas elas, fazendo a ficha de avaliação da cliente.

Principais Indicações:
fadiga; alterações osteoarticulares; problemas musculares, dor muscular, músculos atrofiados; alterações da saúde da mulher, cólica menstrual; estresse, cansaço, angústia, depressão; tratamentos estéticos corporais e faciais; prisão de ventre; gordura localizada, celulite, obesidade.


Principais Contraindicações: fraturas, ferimentos; osteoporose avançada; tumores; alterações de sensibilidade; cistite aguda (sobre a bexiga); gravidez; infecções agudas; doenças de pele; câncer e febre ativa.


Mariana Moraes é fisioterapeuta
 


 

 


 


 

Direção e Editoria - Irene Serra

Se você é da área médica e quer publicar algum artigo, venha fazer parte da nossa equipe