Ano 18 - Semana 936
 

 

 
   
ARQUIVO

 


Doação de medula óssea
Ainda há um mito sobre dor e condições de saúde durante a doação de medula óssea, mas o processo é mais simples do que se imagina.
É preciso ir a um hemo-centro habilitado e coletar uma pequena amostra de sangue, material que será encaminhado a um laboratório credenciado para o exame de histocom-patibilidade.
Os resultados são enviados ao REDOME, o banco de dados nacional de doadores voluntários de medula óssea.
A doação consiste em uma microcirurgia com apenas um dia de internação hospitalar e repouso. Em 15 dias a medula óssea estará completamente regenerada.
 

 




CREMERJ
Praia de Botafogo, 228 Botafogo - CEP: 22359900 Telefone: (21)
2559-0018, 2559-3899
E-mail:
www.cremerj.com.br/
 


CRO-RJ
R. Araújo Porto Alegre 70, 4º e 5 andar
Castelo - CEP: 20030015
Tel: (21) 2533-7173
www.cro-rj.org.br
 



 

Se você é da área médica e quer publicar algum artigo, venha fazer parte da nossa equipe.
 

 

    15 de maio, 2015
---

Artrite Reumatoide

E risco aumentado de infecção com o uso de tratamento biológico
revisão sistemática e meta-análise publicada pelo The Lancet

As infecções são uma grande preocupação para os pacientes com artrite reumatoide, considerando os tratamentos disponíveis. As evidências são inconsistentes para determinar se os medicamentos biológicos estão associados a um risco aumentado de infecção em comparação com as drogas antirreumáticas tradicionais modificadoras do curso da doença (DMARDs).

Pesquisadores da University of Ottawa, Canadá, e da University of Alabama, em Birmingham, EUA, fizeram uma revisão sistemática e meta-análise de infecções graves em portadores de artrite reumatoide tratados com medicamentos biológicos em comparação com aqueles tratados com DMARDs tradicionais.

Foi realizada uma busca sistemática da literatura com dados do Medline, Embase, Cochrane Central Register of Controlled Trials e ClinicalTrials.gov desde sua criação até 11 de fevereiro de 2014. Os termos de pesquisa incluíram "biológicos", "artrite reumatoide" e seus sinônimos. Os ensaios clínicos eram elegíveis para a revisão se incluíssem qualquer um dos medicamentos biológicos aprovados e relatassem infecções graves. Após análises estatísticas, foi avaliado o risco de infecções graves em pacientes com artrite reumatoide que foram tratados com medicamentos biológicos, em comparação com aqueles tratados com DMARDs tradicionais. O odds ratio (OR) de infecção grave foi a principal medida de efeito de tratamento.

A revisão sistemática identificou 106 ensaios com relatos de infecções graves e que incluíam pacientes com artrite reumatoide que receberam medicamentos biológicos. Comparados aos DMARDs tradicionais, os medicamentos biológicos de dose-padrão e os de altas doses foram associados a um risco aumentado de infecções graves, embora medicamentos biológicos de baixa dose não o foram. O risco foi menor nos pacientes não tratados previamente com metotrexato em comparação com os tratados com os DMARDs tradicionais ou aqueles tratados com medicamentos biológicos anti-fator de necrose tumoral, conhecidos como anti-TNF alfa. O aumento absoluto no número de infecções graves por 1.000 doentes tratados anualmente variou de seis, com a dose padrão de medicamentos biológicos, a 55 para a terapia de combinação biológica, em comparação com os DMARDs tradicionais.

Concluiu-se que o uso de medicamentos biológicos em dose-padrão ou em altas doses (com ou sem DMARDs tradicionais) está associado a um aumento de infecções graves em pacientes com artrite reumatoide em comparação com o uso de DMARDs tradicionais, embora os medicamentos biológicos em baixas doses não tenham aumentado o risco de infecção nos pacientes estudados.

Os médicos devem discutir os benefícios e os riscos dessas medicações com cada paciente antes de iniciar o tratamento biológico para a artrite reumatoide.

O estudo foi financiado pela Divisão de Reumatologia da Universidade do Alabama em Birmingham.

Fonte: News Med
 


    Direção
    IRENE SERRA
     irene@riototal.com.br